Tive de sair muito cedo para buscar meu filho num acampamento. Confesso que não estava muito feliz em acordar de madrugada, num dia tão frio, porque sua carona lhe deixou na mão.

Voltando para casa decidi comprar pão. Parei numa padaria, onde fui atendido por “seu Manoel”, um simpático e falante português.

Seu Manoel não me deixou apenas comprar o pão. Me serviu café, contou piadas, dissipou o meu mal humor e me fez rir.  Acabei tomando o café da manhã ali, e enquanto o fazia, percebi que ele agia assim com todos os seus clientes.

Paguei a conta e, ao me despedir, Seu Manoel, numa brincadeira, entregou o segredo do seu negócio… “volte sempre, aqui a gente sempre atende bem. Porque atendendo bem, a gente pode cobrar mais caro!”

Fui embora pensando nisso… “atendendo bem, podemos cobrar mais caro”. A verdade é que, no caso do seu Manoel, a alegria proporcionada pelo seu carisma, se tornou um valor agregado de seus produtos. Você está tão satisfeito com seu atendimento que não se importa de pagar um pouco mais caro por ele. É bom para os dois lados, para ele que lucra mais, e para o cliente, que vai embora feliz.

Precisamos aprender com o Seu Manoel a valorizar a alegria.

Ela tem o poder de aliviar a carga dos trabalhos mais difíceis e de maximizar os nossos resultados. Além, é claro, de tornar os nossos dias muito mais felizes.

Deixe sua opinião no blog…

Boa Jornada!