Hoje vou encerrar nossa conversa sobre a sabedoria encontrada nos conselhos de amigos, sugerindo como selecionar, que conselhos ouvir. Como mencionei no primeiro dia, um dos grandes problemas em receber conselhos, é ouví-los das pessoas erradas. Alguns amigos, ainda não têm o conhecimento e a experiência necessária. Outros, no intuito de agradar ou manter uma posição, não são totalmente sinceros, e dizem o que você gostaria de ouvir, e não o que você precisa ouvir.

Então, sempre que for pedir conselhos a alguém, avalie o seguinte:

  1. Essa pessoa tem algo a perder ou a ganhar dependendo do que eu decidir? Se tiver, ela pode não ser tão isenta ou acabar sendo tendenciosa para algo que melhor lhe convenha.
  1. Essa pessoa tem obtido bons resultados nessa área em que preciso de ajuda? Seu amigo não precisa ser um especialista, mas, se ele tem dificuldades na mesma área, provavelmente ainda não tem as respostas que você procura.
  1. Essa pessoa tem a liberdade e a coragem de me falar algo que talvez eu não vá gostar? É preciso que ela tenha. Senão vai reter a informação, para não arriscar comprometer sua amizade.

Enfim, busque o conselho de pessoas que cumpram estes três requisitos. Elas terão o potencial de te ajudar nos seus desafios e alavancar os seus sonhos. Como disse nos programas anteriores, na multidão de conselhos há sabedoria. Mas precisamos ser sábios para escolhermos os conselheiros certos.